Sintaf reforça a trincheira em defesa da democracia

280

O Sindicato dos Fazendários do Ceará (Sintaf) subscreve a nota publicada nesta segunda-feira, 1º de junho, pela Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital (Fenafisco), onde a Federação destaca o dever irrenunciável do sindicalismo em defender a democracia. “Somos a maioria e vamos defender o Estado democrático de direito, sob os princípios da igualdade, justiça e liberdade, valores perenes e inafastáveis”, defende a Diretoria Colegiada.

A nota ressalta que a Fenafisco e seus sindicatos filiados – que representam cerca de 35 mil servidores fiscais tributários estaduais e distritais de todo o país – não ficarão omissos diante da perigosa escalada autoritária, que a cada dia se parece menos com mera retórica e mais com um projeto político liderado por um grupo minoritário na sociedade, extremamente intolerante.

Destaca, ainda, que o sindicalismo, em especial o do serviço público, foi germinado nas reivindicações trabalhistas específicas e na luta mais ampla contra a ditadura, e nascido na redemocratização, com o advento da Constituição de 1988.

“Sim, a democracia brasileira é frágil, inconclusa e com um largo fosso a separar aquilo que declara daquilo que entrega ao povo”, diz a nota. “Todavia, as liberdades e os direitos civis e políticos são realizáveis apenas em regimes democráticos”.

Dessa forma, a Fenafisco vê como imperiosa e urgente a união de todas as pessoas e organizações da sociedade civil comprometidas com a democracia para enfrentar a “indústria” criminosa da injúria e calúnia em série e da ameaça à integridade física das pessoas e ao funcionamento das Instituições, “que já não esconde o propósito de impor o seu poder pela violência e de instaurar um governo de inspiração fascista no Brasil”.

“Essa escalada autoritária nos preocupa muito”, afirma o diretor de Organização do Sintaf, Lúcio Maia. “Por isso, em consonância com a Fenafisco e os sindicatos de todo o país, reafirmamos nossa luta contra os regimes autoritários. Ditadura nunca mais!”, reforça.

Confira o teor da nota da Fenafisco

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here