Reforma tributária pode ser votada em março e Sindifisco pede prisão para sonegadores

92
A matéria que trata sobre a reforma tributária está sendo analisada pela equipe econômica do governo.

No último ano, pelo menos onze audiências públicas foram realizadas pela comissão mista para tratar sobre o tema.

De acordo com o relator da reforma tributária, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), a expectativa é de que a aprovação da reforma aconteça até março.

Segundo ressaltou, a votação passou a ser considerada uma ação necessária, pois o país está enfrentando uma crise econômica atualmente.

Assim, por meio da reforma, a intenção é simplificar o Sistema Tributário Nacional e, através disso, garantir eficiência à arrecadação tributária e competitividade à produção brasileira.

Sanções Penais
O Sindicato Nacional dos Auditores-Fiscais da Receita Federal (Sindifisco) informou que está acompanhando o desenrolar da proposta, mas fez algumas solicitações.

Uma delas é a inclusão de sanções penais no texto da Reforma Tributária, para que os sonegadores de impostos sejam devidamente punidos, indo contrário à atual sensação de impunidade.

Vale ressaltar que, segundo as leis brasileiras, atualmente não ocorre prisão em casos de dívidas e as punições penais para crimes de sonegação existiram até 1995.

Depois disso, foram extintas.

O Sindicato lembra que, atualmente, o infrator é autuado e representado pelo Ministério Público.

Depois, paga o débito junto ao Fisco.

Mas, “há casos em que não ocorre o pagamento, apenas a adesão a um dos programas tradicionais de parcelamento para ficar livre das sanções”, ressaltou.

Para o presidente do Sindicato, Kleber Cabral, a extinção das sanções promove a sensação de impunidade.

“O Brasil tem uma taxa de sonegação estimada em 27%. Por isso, ressaltamos que a corrupção e sonegação têm a mesma natureza e deveriam ter as mesmas regras”,  afirmou.

Outra proposta
O Sindifisco destaca ainda a importância de se tributar lucros e dividendos de empresas e pessoas físicas.

Essa tributação ocorre atualmente em 33 países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico.

Desta forma, a proposta do Sindicato é isentar da tributação os contribuintes que recebem até R$ 40 mil por ano em programas de repartição de lucro e dividendos.

Com isso, ficariam isentos cerca de 63% dos declarantes de dividendos.

Aos demais, caberia o pagamento de alíquota que variaria de 20% a 35%, dependendo do valor recebido.

Assim, a previsão do Sindicato é R$ 60,8 bilhões, seriam arrecadados sem levar em consideração os lucros das empresas optantes pelo regime Simples Nacional.

Tributologia
Diante da importância do assunto, o Sindicato lançou em dezembro a plataforma Tributologia (www.tributologia.com.br).

A iniciativa se trata de um site que reúne todas as propostas dos Auditores-Fiscais e também da entidade, com o objetivo de contribuir com o debate atual sobre a Reforma Tributária.

Através da plataforma, é possível que toda a sociedade acompanhe e participe da discussão do tema que é tratado através de uma linguagem mais simples.

Desta forma, o projeto aborda cinco eixos para que a reforma seja efetiva: mais justiça, menos burocracia, mais agilidade, menos privilégios e mais fiscalização.

Além disso, o site disponibiliza uma cartilha com todas as propostas do Sindifisco Nacional, além de dados, gráficos e exemplos para mostrar como funciona o atual sistema tributário.

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Por Samara Arruda com informações Sindifisco

Fonte: Jornal Contábil

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here