Movimentação de cargas no Porto do Pecém cresce 44% em abril

81
Visão área do Porto do Pecém
Legenda: A média mensal de movimentação do Porto do Pecém também cresceu em relação ao ano passado
Foto: José Leomar

Conforme o gerente de Negócios Portuários do Complexo do Pecém, Raul Viana, a importação de equipamentos do setor de energia renovável, principalmente eólica, e o retorno das operações de transbordo no Porto do Pecém foram os principais fatores para o crescimento.

VOLTA DO TRANSBORDO DE COMBUSTÍVEIS NO PECÉM DEVE ELEVAR ARRECADAÇÃO

“A gente importa e traz através da nossa infraestrutura no Pecém componentes para a montagem de parques eólicos que serão instalados no Nordeste, nos estados do Ceará, Piauí e Rio Grande do Norte. E também se destacou a movimentação ship-to-ship, o transbordo de combustíveis, com a retomada dessa operação no Pecém desde março. Esses dois fatores foram os responsáveis por esse avanço”, explica.

O resultado foi impulsionado pelo transporte de cargas entre portos nacionais (cabotagem). O quantitativo de embarques (639.814 t) e desembarques (1.115.235 t) também aumentou em 62% e 36%, respectivamente, no período.

Nos primeiros quatro meses deste ano, o terminal cearense movimentou 6.750,210 toneladas. Com isso, o Porto atingiu a média mensal de 1.687,553 toneladas – número superior às registradas em 2020 (1.461,074 t) e em 2019 (1.198,284 t), ano em que o terminal registrou a melhor movimentação anual da história, com 18,1 milhões toneladas movimentadas.

“É com muita alegria que a gente verifica o fechamento dos números dos quatro primeiros meses de 2021 constatando esse avanço”, comemora Viana.

MÉDIA MENSAL ENTRE JANEIRO E ABRIL

  • 2019 = 1.198,284 toneladas
  • 2020 = 1.461,074 toneladas
  • 2021 = 1.687,553 toneladas

FERRO LIDERA EMBARQUES

A navegação de cabotagem totalizou 3.757.010 t, resultado 25% maior em 2021, considerando 2020. Dentre os produtos mais movimentados nesta modalidade, estão os minérios (1.337.028 t); combustíveis minerais (372.304 t); cereais (181.645 t); e ferro fundido (169.637 t).

Já os embarques de cabotagem tiveram como destaques: ferro fundido (370.628 t); sal (176.357 t); combustíveis minerais (128.199 t); e produtos da indústria de moagem (65.948 t).

A navegação de longo curso totalizou 2.993.200t, resultado 6% maior em 2021 frente ao ano anterior. O granel líquido participou com 1.895.159 t (63%); a carga solta com 739.364 t (25%); o granel sólido com 199.060 t (7%); e a carga conteinerizada com 159.618 t (5%).

Nos desembarques de longo curso, os principais produtos movimentados foram combustíveis minerais (1.733.709 t) e ferro fundido (173.871 t).

Diário do Nordeste

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here