Decreto altera regras de distribuição do PDF

3361

A Diretoria do Sintaf foi pega de surpresa com a publicação no Diário Oficial do Estado de 13 de janeiro de 2020, do Decreto 33.430 que altera as regras do Prêmio por Desempenho Fiscal – PDF.

A referida mudança, mais uma vez, não foi discutida com o Sindicato e pode resultar em redução da gratificação distribuída aos agentes que exercem atividades de monitoramento e ação fiscal, a critério de ato da Secretária da Fazenda, o qual deve estabelecer metas e prioridades a serem alcançadas pela auditoria fiscal.

Na manha de hoje, a diretoria do Sintaf esteve reunida com a secretaria executiva Liana Machado e demostraram preocupação da categoria com a referida mudança elaborada a revelia dos servidores.

Essa mudança que pode trazer sérios prejuízos financeiros, alterando as regras de distribuição do PDF para os fazendários sem a devida apreciação de um órgão colegiado com representantes da categoria, para posterior aprovação em assembleia geral do Sintaf.
A Diretoria do Sintaf é veementemente contra essas alterações porque estão sendo feitas de forma impositiva, sem discussão com a categoria fazendária.

Não mediremos esforços para revogar o referido decreto.

7 COMENTÁRIOS

  1. Temos que mostrar nossa indignação e exigir a revigação deste decreto. É inadmissível estas alterações. É bom marcar uma assembleia para discutir o assunto.

  2. Um assunto tão sério, ser tratado dessa forma , sem diálogo algum com a categoria e com o sindicato, não é típica de uma gestão democrática. Infelizmente constatamos, com esse decreto, postura semelhante de administrações anteriores que não valorizavam o servidor fazendário. Sintaf deve lutar contra tal Decreto mesmo : presente de grego pra começar o ano.

  3. Eu, Maria Virginia de Queiroz Sampaio, ex-delegada sindical durante muitos anos, inclusive assim que foi criado o Sindicato, e os primeiros Delegados, eu entrei com muita garra. Saí porque estava sem condições de participar das reuniões em Fortaleza. Mas colegas, eu continuo aqui firme e forte para as batalhas. Não podemos deixar que mexam no nosso salário. O Camilo não prometeu que não deixaria jamais mexer no nosso salário? Já está no governo durante 5 anos e não deu reajuste nem pela inflação, que é obrigatório. E agora vem com essa de usurpar nossa produtividade? Não! Não podemos deixar isso acontecer. VAMOS FAZER GREVE! E vocês me avisem com antecedência, nunca tive medo quando estava na ativa, imagine agora, aposentada. Podem me avisar que eu tenho uma amizade muito grande com minhas colegas e meus colegas. Outro assunto que está me preocupando: o fechamento de Unidades Fazendárias. Querem acabar de vez com a arrecadação? VOU DAR UMA DICA PARA QUE O LÚCIO oriente o Governo Camilo: ele deveria acabar é com os municípios fajutas que não tem nenhuma INDUSTRIA e só servem para a mamata. Vou dar exemplo: Choró é o vilarejo que nasci e toda minha família. Não tem nada lá. No meu tempo, pelo menos, tinha muita água, muito peixe, muita fartura de legumes, gado, carneiro etc… Hoje só tem ladrão. Ibaretama, Ibicuitinga e outros, isso sim, dão prejuízo. Dai é mais vantagem fechar esses municípios. Bem, estou aqui disposta para LUTAR pelos nossos direitos. Abraço.

  4. Acho um desrespeito com a categoria. Já não temos aumento há quase cinco anos e esse governador não se vergonha disso. Vamos pra luta

  5. Nota-se, ultimamente, que a Administração Fazendária tem tratado com desprezo a categoria. Isso é reflexo do Cisma, vigente na categoria fazendária. São 02 sindicatos e duas associações com objetivos nem sempre convergentes, o que divide a categoria como um todo, enfraquecendo-a.

  6. Vamos à luta! Camilo com jeito de moço bom e uma secretária que discute só modernidade, mas com um ar anti-democrático que a cada dia nos surpreende com decretos desfavoráveis à categoria. E o que nos resta é partir para o enfrentamento, para mostrar para esta dupla nossa indignação.

  7. É inacreditável após tantas lutas da AAFEC E SINTAF! O já prometido PDF ainda não tenha consolidado-se. E mais, ainda não sei o que está havendo; mas já se houve alguém dizer algo que entristece cada vez mais aqueles aposentados, envelhecidos e doentes pelo tempo são os mesmos; quando jovens entregaram a mocidade em prol da Secretaria da Fazenda do Estado do Ceará! Tenho dito.

Deixe um comentário para Maria Virginia de Queiroz Sampaio Cancelar resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here