Após três meses de queda, maio registra alta de 44,4% de casos de Covid-19

19
Neste mês, até 11 de junho, foram confirmados 1.163 casos da doença no Ceará, o equivalente a 60,8% do total de maio. Nenhum óbito foi registrado
Centro de testagem para Covid-19 (Foto: FABIO LIMA/ O POVO)
Foto: FABIO LIMA/ O POVOCentro de testagem para Covid-19

Depois de três meses com os números de casos de Covid-19 em queda no Estado, as confirmações da doença voltaram a subir no Ceará. Segundo dados do IntegraSUS, plataforma da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), atualizado às 7h49min de ontem, o indicador começou a reduzir em fevereiro e teve aumento em maio, quando foram registrados 1.912 casos, 44,4% a mais do que as confirmações de abril. Até 11 de junho, foram confirmados 1.163 casos — 60,8% do total de maio.

Entre janeiro e fevereiro, a redução foi de aproximadamente 89%, quando os casos registrados passaram de 236.143 para 26.355 entre os dois meses, em meio à terceira onda da pandemia, causada pela variante Ômicron do Sars-Cov-2, vírus causador da Covid-19. Já em março, foram confirmados 2.189 casos da doença, queda de 91,6% na comparação com fevereiro. Os 1.324 casos confirmados em abril, por sua vez, representaram uma redução de 39,5% em relação março.

Ainda segundo os dados do IntegraSUS, a média móvel de casos começou a cair em 22 de janeiro e voltou a aumentar na segunda quinzena de maio. Após cerca de três meses, a média móvel voltou a indicar mais de 90 casos confirmados por dia, em 3 de junho. Desde 9 de março o indicador estava abaixo de 90.

Em Fortaleza, o boletim epidemiológico da Secretaria Municipal da Saúde aponta “um aumento linear e progressivo dos casos” identificado a partir de meados de maio

Um exemplo desse aumento dos casos de Covid-19 no Estado é o município de Varjota, a 272,7 km de Fortaleza, na Região de Saúde de Sobral. Entre a última quinta-feira, 9, e a última sexta-feira, 10, oito pacientes tiveram confirmação para a doença no município. O último caso positivo na cidade havia sido notificado no dia 24 de fevereiro.

Em Fortaleza, o boletim epidemiológico da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) divulgado na terça-feira, 7, aponta “um aumento linear e progressivo dos casos” identificado a partir de meados de maio. Porém, o cenário epidemiológico continua com “circulação viral limitada” e o aumento é considerado “lento”.

Na última sexta-feira, 10, a governadora Izolda Cela (PDT) anunciou, em transmissão por meio das redes sociais, que a recomendação para uso de máscaras em ambientes fechados e em locais abertos com aglomeração, no Ceará, seria ampliado para todas as pessoas. A medida foi adotada pelo aumento de positividade de testes de Covid-19.

Segundo o Vacinômetro da Sesa, a cobertura com o esquema primário, com primeira e segunda doses ou dose única, é de 90,8%, e com a dose de reforço é de 65,9%

O secretário da Saúde do Estado, Marcos Gadelha, informou que, no dia 22 de maio, 3,8% dos exames realizados tinham resultado positivo. Essa taxa passou para 4,4% no dia 29 de maio e, uma semana depois dobrou, chegando a 10,7% em 5 de junho. O gestor ponderou que esse aumento não tem se refletido em crescimento no número de casos graves, internações e óbitos e destacou a cobertura vacinal.

Segundo o Vacinômetro da Sesa, a cobertura com o esquema primário, com primeira e segunda doses ou dose única, é de 90,8%, e com a dose de reforço é de 65,9%. (Colaboraram Ana Rute Ramires e Marcela Tosi)

O Povo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here