Valor da cesta básica em Fortaleza cai 9% em 12 meses, aponta Dieese

8

Conforme a pesquisa mensal, primeiro mês do ano apresentou deflação no custo dos alimentos básicos tanto em comparação com janeiro de 2023 quanto com dezembro. Tomate, leite e farinha puxaram a queda

O custo da cesta básica caiu em Fortaleza no mês de janeiro e custou R$ 618,32. Esse montante representou uma queda de 1,91% no preço em relação ao mês anterior e de 9,05% em relação a janeiro do ano passado, conforme levantamento do Dieese.

Na comparação com outros estados, o movimento de queda no valor da cesta em Fortaleza foi único no Brasil neste período. As elevações mais importantes ocorreram em Belo Horizonte (10,43%), Rio de Janeiro (7,2%), Brasília (6,27%) e Goiânia (6,18%).

De acordo com os dados, em janeiro, os produtos que mais contribuíram para a redução do preço da cesta básica foram o tomate, com queda de 26%, seguido da farinha (-1,75%) e leite (-0,97%).

No caminho contrário, apresentaram alta em relação ao mês anterior o feijão, com aumento acumulado de 12,98%, além do arroz (+9,69%).

Em janeiro, três dos 12 produtos analisados pelo Dieese apresentaram queda nos preços. Vale destacar que o valor final obtido pelo Dieese leva em consideração o consumo de uma pessoa adulta.

O Dieese também analisou o gasto com alimentação de uma família padrão com quatro pessoas (dois adultos e duas crianças) e esse custo chegou a R$ 1.854,96.

“Comparando o custo da cesta com o salário mínimo líquido, ou seja, após o desconto referente à Previdência Social (7,5%), verifica-se que o trabalhador fortalezense remunerado pelo piso nacional comprometeu, em janeiro de 2024, 47,34% do seu salário para comprar os alimentos básicos para uma pessoa adulta”, diz o Dieese.

Peso da cesta básica diminuiu
Analisando a série histórica recente de preços da cesta básica em Fortaleza é possível nota uma clara deflação. No semestre, o valor acumula queda de 6,53%.

Já no período de 12 meses, a queda chega a 9,05%. Em janeiro de 2023, o valor da cesta básica na Capital alcançava R$ 679,81.

No período, entre os itens que mais caíram de preço destacam-se o tomate (42,2%), o óleo (22,58%) e o feijão (11,56%). No caminho contrário, o arroz apresentou alta de 23,48% no período.

Dentro desse mesmo recorte analisando janeiro de 2023 com janeiro de 2024, enquanto a Capital apresentou queda de preços, nove outras capitais apresentaram alta.

O principal destaque negativo ficou por conta de Florianópolis (5,21%), Curitiba (4,47%) e Porto Alegre (4,47%).

No sentido contrário, além de Fortaleza, houve queda de preços nas cidades de Recife (-9,47%) e Salvador (-0,26%).

Isso permite que Fortaleza esteja como a sexta capital com a cesta básica mais barata do País, dentre as 17 capitais analisadas. Ainda assim, permanece sendo a capital nordestina com a cesta básica mais cara.

Salário mínimo ideal para os brasileiros
O Dieese também divulgou o montante que poderia ser considerado o valor do salário mínimo ideal para os brasileiros.

Em janeiro de 2024, esse valor deveria ter sido de R$ 6.723,41, ou 4,76 vezes o mínimo de R$ 1.412.

“Em janeiro de 2024, mesmo com o aumento de 6,97% no salário mínimo, o tempo médio necessário para adquirir os produtos da cesta básica foi de 106 horas e 30 minutos. Em dezembro de 2023, antes do reajuste, a jornada média ficou em 109 horas e 3 minutos, e, em janeiro de 2023, em 116 horas e 22 minutos”, sintetiza o Dieese.

Veja o sobe e desce dos produtos da cesta básica em Fortaleza – janeiro de 2024
Produto / Variação mensal (%)

Carne: +0,08%
Leite: -0,97%
Feijão: +12,98%
Arroz: +9,69%
Farinha: -1,75%
Tomate: -26%
Pão: +1,24%
Café: 0
Banana: +4,32%
Açúcar: +0,46%
Óleo: +0,4%
Manteiga: +0,96%
Fonte: Dieese

Cesta
Nas cidades do Norte e Nordeste, onde a composição da cesta é diferente, os menores valores médios foram registrados em Aracaju (R$ 528,48), Recife (R$ 550,51) e João Pessoa (R$ 559,77)

Fonte: O Povo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here