Servidores públicos protestam, em todo o país, contra a reforma administrativa

103

Servidores públicos de todo o país realizaram protestos e paralisações nesta quarta-feira (18/8), contra a reforma administrativa (PEC 32) em tramitação no Congresso Nacional. Em Fortaleza, o ato teve concentração na Praça da Imprensa, no Dionísio Torres, seguindo em passeata até a Assembleia Legislativa do Ceará (AL-CE). Diretores e lideranças sindicais do Sintaf marcaram presença, representando os fazendários cearenses, e reforçaram a representatividade do Fórum Permanente em Defesa do Serviço Público e do Fórum Unificado das Associações e Sindicatos dos Servidores Públicos do Ceará (Fuaspec).

Pela manhã, o deputado estadual Renato Roseno (Psol) fez a leitura, no Plenário da Assembleia Legislativa, do manifesto contra a reforma administrativa produzido no Encontro Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Setor Público, ocorrido no final de julho. O mesmo documento foi entregue, de forma simbólica, por uma comissão de dirigentes sindicais – dentre eles diretores do Sintaf e coordenadores do Fuaspec – recebida no mesmo dia pelos deputados Elmano de Freitas (PT), Augusta Brito (PCdoB), Renato Roseno (Psol) e Guilherme Sampaio (PT), que se comprometeram em pressionar a bancada federal cearense para que rejeite a PEC que pode causar a destruição do serviço público.

:: Acesse aqui o manifesto 

O Dia Nacional de Luta e Paralisações foi convocado pelas diversas centrais sindicais e entidades que representam os servidores públicos das três esferas. Além de Fortaleza, foram realizados atos em diversos municípios do Ceará, incluindo Aquiraz, Antonina do Norte, Canindé, Guaiúba, Itapipoca, Juazeiro do Norte, Quixadá, Ubajara e Tamboril.

Pela retirada da reforma

Para o diretor de Organização do Sintaf, Carlos Brasil, os sindicatos que representam os servidores públicos têm a obrigação de defender a retirada da reforma administrativa da pauta, principalmente no atual contexto de pandemia. “A posição do Sintaf é pela retirada da reforma administrativa, porque ela acarreta grandes prejuízos à sociedade, privando a população mais carente do acesso a serviços básicos como educação e saúde de qualidade. O trabalho dos servidores públicos é essencial para a sobrevivência e dignidade da população”, destacou.

#CancelaReforma

Para a coordenadora geral do Fórum Unificado das Associações e Sindicatos do Serviço Público (Fuaspec), Eliene Uchôa, o Dia de Luta foi exitoso. “Além do ato, pela manhã, e da entrega do manifesto aos deputados, participamos da audiência pública online no período da tarde, promovida pela Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público (CTASP) da AL-CE”, explica. Um dos encaminhamentos do encontro é a realização de audiências públicas nos diversos municípios cearenses.

De acordo com Eliene Uchôa, a orientação é continuar o processo de mobilização, buscando a unidade do movimento sindical. “A luta é para barrar a PEC, para que ela não seja votada. Nosso foco é sensibilizar os deputados da bancada cearense, conquistando o voto dos indecisos. Com a população, precisamos dialogar, falar dos efeitos negativos da reforma administrativa, reforçar que esta não é uma luta corporativa. O que está em jogo é o serviço público, é a desconstrução do nosso bem-estar social. Como somos um país muito desigual, a população precisa dos serviços públicos”, enfatizou.

Fala, fazendário(a)!

“Temos o grande receio de que a PEC 32 seja colocada em pauta de agosto para setembro. Até as eleições, vão tocar para frente todos os pacotes de maldades, todas as reformas possíveis, visando acabar com o serviço público. A PEC 32 atinge toda a população. Esta é a PEC da destruição, a cova do serviço público; o objetivo é entregar os serviços para a iniciativa privada. E aí nós vamos ter duas categorias de servidores, pois a reforma atinge os atuais e os futuros. Onde nós vamos parar? Os servidores ficarão novamente numa situação de subserviência que tinham no passado? Precisamos alertar a população, que precisa de saúde e educação mais do que nunca. O tempo está curto e daqui até a campanha eleitoral muita coisa vai acontecer”
Ana Maria Cunha – servidora fazendária lotada no Plantão Fiscal

“Estamos conclamando a população a participar. Esta não é uma causa só do servidor público. Quando os direitos dos servidores são retirados, os prejuízos são sentidos por toda a sociedade, pela precarização dos serviços públicos. Se não tivermos concurso público, direitos e garantias, a qualidade do Estado brasileiro terá perdas consideráveis. Por isso, a participação popular é fundamental. As pessoas precisam participar, se manifestar, marcar presença. Ainda há muitas pessoas adormecidas, sem perceber o que realmente está acontecendo no nosso país. Temos a experiência de acompanhar várias reformas, todas muito prejudiciais aos trabalhadores de um modo geral. Lembre-se: o que está em jogo é o seu direito, seu ganha pão, o sustento de sua família, o futuro do Brasil”.
Yolita Sá – servidora fazendária aposentada

“É fundamental estarmos juntos nesse momento de tantas ofensivas contra os direitos dos trabalhadores. Foram várias reformas que passaram e essa vai ser mais uma que vem retirar nossos direitos. O serviço público é essencial. A hora de marcar presença nos protestos é agora; é preciso continuar mobilizado, no sindicato, nas associações, nos atos. E o Sintaf está dando a sua contribuição com a presença dele aqui, mas é preciso vir mais companheiros, é preciso somar mais força para barrar essa reforma.”
Roberto Gomes – servidor fazendário lotado na Cexat Caucaia

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here