Rodrigo Maia afirma que não dará 'sala' para o governo na Câmara

252


Por Estadão Conteúdo


Em entrevista, o presidente da Câmara afirma que negou pedido da equipe do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, que queria uma sala nas dependências da Casa para despachar diretamente com os deputados


Reeleito presidente da Câmara com 334 votos e sem a ajuda do Palácio do Planalto, o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) deu o primeiro troco no governo dias após ser reconduzido ao cargo. Ele negou pedido da equipe do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, que queria ter uma sala nas dependências da Casa para despachar diretamente com os deputados. A tentativa do Planalto de fazer um “puxadinho” na Câmara foi classificada por Maia como algo “bobo”.


Fortalecido pela expressiva votação, Maia demonstrou em entrevista ao Estado que inaugura uma nova fase. Ele negou que vai adotar o estilo “bateu, levou”, mas mandou vários recados. Disse que foi traído pelo PT e avisou o Tribunal de Contas da União (TCU) que nem tente legislar sobre a Lei Kandir. “Deixo eles sem orçamento até 2022”, afirmou.


Confira entrevista com Rodrigo Maia


A saúde do presidente Jair Bolsonaro pode atrasar a reforma da Previdência?


Não acho, porque, pelo prazo do encaminhamento da reforma, pelas previsões, o presidente já não vai estar mais no hospital. Então ele pode tomar a decisão final sobre qual texto ele vai querer encaminhar.


A articulação política para aprovar a reforma fica prejudicada? Ninguém vai votar nada de Previdência daqui a duas semanas. Então, é importante que o Onyx (Lorenzoni, ministro da Casa Civil) vá organizando a base e, quando o presidente tiver condições, pelo menos dê o sinal de que aquilo que o Onyx organizou está “ok” para ele. Claro que a presença do presidente ajuda, mas não atrapalha nem atrasa.


LEIA O RESTANTE DA ENTREVISTA AQUI: http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/editorias/politica/online/maia-afirma-que-nao-dara-sala-para-o-governo-na-camara-1.2061452