Premissas como diálogo e valorização marcam posse da nova gestão do Sintaf e da Fundação Sintaf

115

A solenidade de posse da nova gestão do Sindicato dos Fazendários do Ceará (Sintaf) e da Fundação Sintaf aconteceu na manhã desta segunda-feira (9/8), no auditório da Sefaz, com a presença de autoridades e entidades parceiras. Na ocasião, foi empossada a nova Diretoria Colegiada, Coordenações Regionais, Conselho Fiscal e Delegados Sindicais do Sintaf para a gestão 2021-2024, além da Diretoria Executiva da Fundação Sintaf e seu Conselho Curador, que estarão à frente da entidade no próximo triênio.

Em sua fala inicial, o diretor de Organização eleito, Carlos Brasil, enalteceu o Sintaf e suas conquistas históricas – fruto da atuação responsável e da capacidade de mobilização da categoria. “Recentemente conquistamos a unificação do teto remuneratório e brevemente, em janeiro, estaremos incorporando parcela significativa do piso do PDF. Mas os desafios ao Sintaf e, por consequência aos fazendários, se agigantam. De um lado, formamos um grupo qualificado de servidores, sendo convidados, inclusive, a ocupar outros postos da administração pública; de outro lado, sofremos perdas contínuas e recentes, por conta de uma agenda desfavorável ao conjunto dos servidores públicos”, evidenciou.

Carlos Brasil destacou, ainda, o papel fundamental desempenhado pelos fazendários durante a pandemia, na obtenção dos recursos públicos que possibilitaram o enfrentamento à covid-19. “Nossos postos fiscais funcionaram diuturnamente, mesmo que não estivéssemos na prioridade para a vacina”, afirmou. “Esperamos um justo reconhecimento, de tal forma que consigamos eliminar excessos cometidos pela reforma da previdência no cálculo dos valores decorrentes de nossa produtividade, corrigir possíveis inconstitucionalidades em nosso plano de cargos e conquistar a nossa tão aguardada Lei Orgânica. Para tanto, conclamamos todos os fazendários ao debate, para que possamos retomar o caminho do fortalecimento da carreira fazendária”, convocou.

Para o diretor, o Sintaf vai além quando se preocupa em contribuir com o desenvolvimento não apenas dos fazendários, mas da sociedade cearense como um todo. “Prova disto é a instituição e manutenção da Fundação Sintaf, entidade voltada para a pesquisa, ensino e cultura”, destacou.

Lutar com esperança

A agenda de ataques aos direitos dos trabalhadores também preocupa Elenilda dos Santos, presidente da Associação dos Aposentados Fazendários Estaduais do Ceará (AAFEC). Além de agradecer o trabalho da diretoria anterior, na pessoa do ex-diretor de Organização, Lúcio Maia, Elenilda expôs sua inquietação com os efeitos da reforma da previdência. “Quando percebemos o impacto financeiro da reforma nas famílias, isso nos deixa um tanto atordoados. Desejo à nova diretoria e às demais entidades muita sabedoria e diálogo para minimizarmos os efeitos da atual legislação da previdência. Deixo a minha palavra de esperança para que possamos reverter toda a maldade que foi feita em nome do financeiro”, expressou.

Dados e convencimento

Para a presidente da Cafaz Saúde, Ivany Araújo, uma entidade sindical inteligente é aquela que produz estudos e busca convencer com dados. “É preciso analisar o contexto, e o nosso Sindicato sempre teve a preocupação de primar pelo diálogo com a Administração Fazendária e com o governo. É isso que desejamos para a nova gestão do Sindicato: um trabalho árduo, profícuo, centrado no diálogo”, estimou. Segundo Ivany, as entidades fazendárias têm sido geridas por colegas dedicados. “Estimo votos de confiança de que essa gestão continuará fazendo um bom trabalho para o nosso Sintaf”.

Diálogo e confiança

A secretária da Fazenda, Fernanda Pacobahyba, destacou o propósito de sua presença na solenidade: enaltecer os princípios de valorização dos servidores, de abertura para o diálogo e da confiança como peça estrutural a ser cultivada na nossa sociedade. “Muitas das instituições estão se diluindo e cabe a cada um de nós estruturarmos esse novo mundo. É um momento de fazermos juntos”, sublinhou. Nesse contexto, o papel das lideranças nunca foi tão importante. “Precisamos de lideranças fortes, inspiradoras, valorativas – e vejo no Carlos Brasil essa capacidade de diálogo, tranquilidade e firmeza legítima”, manifestou, colocando-se à disposição do Sindicato.

Relação ganha-ganha

Segundo destacou o diretor de Formação Sindical e Relações Intersindicais da Fenafisco, Francelino Valença Júnior, o Sintaf e a Fundação Sintaf têm uma história de luta, de crescimento e de vanguarda no país. “A Fundação Sintaf se destaca não apenas pela capacidade técnica, mas por levar a possibilidade de mudança numa sociedade tão desigual”, asseverou. No tocante às negociações com a Administração, o diretor sugeriu um modelo diferente, já adotado em seu estado de origem, Pernambuco: “Que Sintaf e Sefaz possam construir uma relação de ganha-ganha. E que avancem cada vez mais em prol da Fazenda e da sociedade”, desejou.

Lutar pela democracia

Presente ao evento, o vereador de Fortaleza, Guilherme Sampaio (PT), saldou toda a Diretoria do Sintaf, desejando-lhe muito sucesso. “É tempo de muitos desafios para aqueles que se propõem a ocupar funções públicas ou de representação, uma vez que está em jogo a construção história da democracia brasileira. Vamos lutar para mantê-la!”, conclamou. “A nossa responsabilidade ética é entregar para essa juventude uma democracia consolidada, assim como a direção do Sindicato precisa deixar um legado de militância ativa, de tensionamento, quando necessário, de firmeza nas suas posições e de responsabilidade”, declarou.

Abraçar as causas nacionais

Em sua fala, o deputado federal Idilvan Alencar (PDT-CE) fez duras críticas ao Governo Federal e à maioria do Congresso Nacional, por encaminhar pautas como a PEC dos precatórios – “uma pedalada fiscal das mais fortes”, segundo destacou – e a PEC 32, da reforma administrativa, que traz em seu bojo enormes prejuízos ao serviço público. “É muito difícil ser um parlamentar de oposição neste país. Mas este tempo nos convoca: é o momento em que o país mais precisa de pessoas para lutar pela democracia”, declarou.

Ao mesmo tempo, evidenciou a responsabilidade da Secretária da Fazenda com a pauta da categoria. “Essa expectativa é natural, já que ela é a primeira fazendária a ocupar o cargo máximo da gestão”, sublinhou. De acordo com o parlamentar, alguns pontos continuam pendentes, como o concurso para Auditor Fiscal Adjunto, que a secretária já se comprometeu publicamente em fazer. “O Sindicato tem esses dois papéis: a luta interna pelos direitos e condições de trabalho, mas também a luta nacional. É obrigação das entidades sindicais e de qualquer cidadão que aposta na democracia se insurgir contra o que está acontecendo no Brasil. Nós não podemos ficar em silêncio. Vocês, do Sindicato, podem contar comigo nessa jornada estadual e federal”, assegurou.

O deputado federal André Figueiredo (PDT-CE) também esteve presente à solenidade. Ele chegou cedo e conversou com as lideranças do Sintaf e da Fundação acerca da reforma administrativa, mas não pôde permanecer até o final. Diante do difícil cenário da reforma, o parlamentar reforçou sua atuação em defesa do Fisco e colocou-se à disposição do Sintaf e dos fazendários cearenses.

Soluções construtivas

Convidada a fazer uma saudação aos presentes, a secretária executiva de Planejamento e Gestão interna da Sefaz, Sandra Machado, deu as boas vindas à nova gestão do Sintaf, desejando que seus dirigentes possam construir uma relação de diálogo com a Administração Fazendária, sempre preservando e priorizando o interesse dos servidores. “Isso já tem sido demonstrado, o que nos deixa satisfeitos. Na mesa de negociação, nós continuaremos sempre buscando soluções construtivas”, garantiu, agradecendo, ainda, ao ex-diretor de Organização do Sintaf, Lúcio Maia, pelo trabalho proativo à frente da entidade.

Rumo ao futuro

Ao tomar posse, o novo diretor-geral da Fundação Sintaf, Liduíno de Brito, discursou sobre sua trajetória no movimento sindical e sobre as injustiças que persistem no país. Ele falou de afastamentos, desafios e recomeços, destacando sua passagem na Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital (Fenafisco). Diante das dificuldades, Liduíno – que também ocupou a cadeira de diretor de Organização do Sintaf na gestão 2009-2012 – citou Jean-Paul Sartre, quando o filósofo afirma que existir significa construir a própria vida. “Sartre quer dizer que a consciência não é nada até que perceba alguma coisa. Médico vê um doente em cada quarteirão. Um fiscal da Fazenda vê sonegador em todo lugar. Em suma, nós mesmos contribuímos para o que sentimos e percebemos, pois somos nós que escolhemos aquilo que nos é importante”, afirmou.

À frente da nova Diretoria da Fundação Sintaf, Liduíno assumiu o compromisso – com a ajuda de todo o corpo da entidade – em fomentar o ensino, a pesquisa, a extensão, a cultura e a gestão ética na administração pública cearense.

A nova gestão contará, ainda, com Jurandir Gurgel Gondim Filho, como Diretor Técnico-Científico; Kleber Junior Silveira, como Diretor Administrativo-Financeiro; e Liliane Sales Carvalho, como Diretora de Cidadania, Inclusão Social e Cultura.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here