Petrobras tem recuperação parcial e puxa alta de 1,22% do Ibovespa

27

Ganhos superiores a 3% nos papéis da Petrobras garantiram resultado, puxados pela visão do mercado de que uma solução para o imbróglio dos dividendos extraordinários está mais próxima

O Ibovespa teve uma sessão de recuperação ontem, depois de ter caído quase 2% no acumulado dos dois últimos pregões.

Ganhos superiores a 3% nos papéis da Petrobras garantiram a alta, puxados pela visão do mercado de que uma solução para o imbróglio dos dividendos extraordinários está mais próxima. O sinal positivo de Nova York, balanços de empresas locais e a melhora geral do humor de investidores também favoreceram a Bolsa.

Assim, a referência da B3 fechou o dia em alta de 1,22%, aos 127.667,84 pontos – só 0,52% abaixo do fechamento da última quinta-feira, 7, quando a Petrobras anunciou que não pagaria os dividendos extraordinários. O índice se manteve no positivo durante todo o dia, entre a mínima, de 126.120,68 (estável), e a máxima, de 128.039,47 (+1,52%). O giro financeiro ficou em R$ 23,7 bilhões.

Principal responsável pela retomada do Ibovespa, Petrobras ganhou entre 3,28% (PN) e 3,03% (ON), amparada pela percepção de um noticiário mais positivo sobre a empresa. Nesta terça, o governo confirmou indicaria ao Conselho de Administração da Petrobras um representante da Fazenda, atendendo a um pleito do chefe da pasta, Fernando Haddad. Na segunda-feira, o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, confirmou a possibilidade de a Petrobras rever a decisão sobre o pagamento de dividendos extraordinários.

“A percepção, agora, é que parecemos estar caminhando para uma solução talvez não tão radical, com o governo falando que o dividendo extraordinário é uma possibilidade”, diz o gestor de renda variável da Western Asset, Naio Ino. “Isso volta a trazer alguma esperança para o mercado de que esse dividendo venha em algum momento do tempo, está tirando o pessimismo da conta.”

Segundo o operador de renda variável da Manchester Investimentos Diego Faust, a melhora do humor do mercado em relação à Petrobras também ajudou a amparar os ganhos das outras empresas. “Olhando para os juros, o contrato de depósito interfinanceiro DI para janeiro de 2025 também caiu, não operava na faixa de 9,8% desde 2021, e isso abriu espaço para altas de construtoras e do consumo”, acrescenta.

Na ponta negativa do Ibovespa, a maior influência de baixa ficou com Vale ON, que cedeu 0,62%, ignorando a tentativa de recuperação do minério de ferro em Cingapura e na contramão de outras mineradoras e siderúrgicas, como CSN ON (+1,12%) e Gerdau PN (+1,65%).

O ex-conselheiro independente da Vale José Luciano Duarte Penido, que renunciou na segunda-feira, escreveu em sua carta de saída que o processo sucessório do comando da empresa tem sido manipulado e sofre “nefasta influência política.”

As maiores altas nominais do Ibovespa ficaram com Petz ON (+6,97%), Natura ON (+6,64%), Prio ON (+5,79%) e Soma ON (+4,17%). Na outra ponta, aparecem CPFL Energia ON (-1,62%), Pão de Açúcar ON e Fleury ON (ambas com -1,43%), além de Usiminas PNA e São Martinho ON (ambas com -1,35%).

Fonte: O Povo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here