Pedidos de demissões no Ceará batem recorde em agosto

579

| Mercado de trabalho | Ao todo, foram mais de 10 mil demissões por vontade do empregado. Número é o maior desde janeiro de 2020 no Estado

Se milhares de cearenses estão gastando o dedo no mundo virtual e sola de sapatos nas ruas à procura de emprego, um outro grupo chama a atenção por estar pedindo demissão. Só no mês de agosto, 10.939 pessoas saíram dos seus trabalhos por vontade própria. No total, foram registradas 42.102 demissões no mês no Estado.
Esse número, comparado ao mês de agosto de 2021, representa um aumento de 28%. Se fizermos uma análise em 12 meses, o percentual sobe para 35,53%. Estes números são resultado de um levantamento feito pela LCA Consultores a partir de dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

A plataforma, que contabiliza as vagas com carteira assinada no país, mostra que o Ceará apenas acompanhou o que ocorreu no Brasil, em agosto. O período registrou o recorde de pedidos de demissão em um único mês desde janeiro de 2020, início da nova metodologia de contagem de vagas.

Ranking

Se olharmos para o Nordeste, o Ceará ficou em segundo lugar com o maior número de demissões em agosto, ficando atrás apenas da Bahia, que registrou 14.175 de pedidos. A terceira colocação nesse ranking é de Pernambuco, com 9.785 saídas espontâneas do trabalho. O estado que apresentou o menor índice foi Sergipe, com 1.859 demissões.

As demissões em 12 meses, até agosto, no Ceará, registrou o total de 462.130, sendo que destas, 105.445 foram a pedido do trabalhador. Na análise não traz dados específicos do Estado com relação ao setor mais atingido. Porém, nos dados do País, é o setor de Alojamento e Alimentação o que mais registrou pedidos de demissão em agosto deste ano.

Outros setores do mercado atingidos são os de Atividades Administrativas e Serviços Complementares, Agricultura e Atividades Profissionais, Científicas e Técnicas com a maior proporção de pedidos de demissão dentro do total de vagas.

Os motivos

Responsável pela pesquisa, Bruno Imaizumi afirma que o Brasil e o Ceará estão seguindo um movimento global de “normalização do mercado”. Mesmo sem um recorte de análise específica do Nordeste, ele comenta que por conta da forte atividade do turismo, o setor de Alojamento e Alimentação, que está em primeiro lugar no País, também deve ser o com maior movimentação aqui.

“A pandemia fechou muitos desses locais, ou reduziu consideravelmente os postos de trabalho no período. Agora, com o aquecimento do mercado, novos postos de trabalho com melhores salários e condições podem fazer com que o trabalhador migre de uma colocação para outra”, explica.

Imaizumi também lembra que na pandemia, muitos trabalhadores aceitaram empregos com remunerações abaixo do mercado ou não condizentes com a sua qualificação, por conta do cenários. “Agora, estas pessoas também estão pedindo demissão para ocupar postos de trabalho com melhores condições.”

O responsável pela pesquisa pondera que trabalhadores muito qualificados têm uma alta rotatividade no mercado de trabalho e figuram nesse montante de pedidos de demissão. Além disso, ele analisa que a volta para o modo presencial das funções laborais, também contribuiu para a alta de pedidos de demissão, já que muitas pessoas se adaptaram aos moldes do trabalho remoto e não gostariam de voltar ao modelo que até antes da pandemia, era o tradicional.

“Muitos trabalhadores também estão levando em conta outros aspectos que influenciam na qualidade de vida, como, por exemplo, o tempo perdido no trânsito, e estão escolhendo sair dos trabalhos presenciais e se voltando para os mercados híbrido e remoto”, reflete Imaizumi.

Veja os números da Região Nordeste

Bahia
Demissões a pedido -14.175
Total de demissões – 64.006

Ceará
Demissões a pedido -10.939
Total de demissões – 42.102

Pernambuco
Demissões a pedido – 9.785
Total de demissões – 42.143

Maranhão
Demissões a pedido – 4.921
Total de demissões – 19.073

Rio Grande do Norte
Demissões a pedido – 3.582
Total de demissões – 15.077

Paraíba
Demissões a pedido – 3.425
Total de demissões – 14.145

Alagoas
Demissões a pedido – 3.169
Total de demissões – 11.722

Piauí
Demissões a pedido – 2.331
Total de demissões – 11.069

Sergipe
Demissões a pedido – 1.859
Total de demissões – 8.044

Fonte: O Povo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here