“Nós não podemos ter um membro divulgando desinformação e difamando pessoas”, afirma Roseno sobre atos de André Fernandes

169

O parlamentar cobrou medidas urgentes do Legislativo, e afirmou que a “sociedade cearense e a democracia exigem respostas a altura”

Durante sessão pública da Assembleia Legislativa do Ceará (AL-CE) nesta quarta-feira, 13, o deputado Renato Roseno (PSOL) exigiu um posicionamento da Casa sobre os atos do Deputado André Fernandes (PSL). O parlamentar é alvo de processo de investigação por quebra de decoro e recentemente acusou o secretário da Saúde do Ceará, Dr. Cabeto, de estar pressionando médicos do Estado a fraudarem laudos de óbitos para inflar as estatísticas de coronavírus.

Durante pronunciamento, Roseno saiu em defesa dos profissionais de saúde do Ceará e afirmou que, durante sua história na Casa, Fernandes “já atacou os professores municipais, a imprensa, os profissionais de saúde e a sociedade como um todo”. O parlamentar cobrou medidas urgentes do Legislativo, e afirmou que a “sociedade cearense e a democracia exigem respostas a altura”.

“Tem um membro aqui da casa, o deputado André Fernandes, que, da mesma forma que Bolsonaro cultivou fake news, desinformação e violência, ele caluniou não só o senhor Cabeto, mas todos os profissionais de saúde, aos médico cearenses. Então, aqui minhas solidariedades que estão neste momento cuidando dessas pessoas e se infectando. A sociedade nos obriga e espera de nós uma solução e resposta a altura. Não é possível que um membro do poder Legislativo faça isso e que o Poder não faça nada em resposta. Nós devemos isso a sociedade cearense e a democracia, a todos os médicos e médicas, a todos os profissionais da saúde aos enfermeiros e as vítimas. Nós não podemos ter um membro divulgando desinformação e difamando pessoas”, disse Roseno.

Nesta segunda-feira, 10, parlamentares da AL-CE cobraram a tramitação do parecer do Conselho de Ética que determina a suspensão temporária do peeselista. O presidente da Casa, José Sarto (PDT) afirmou que iria consultar a Procuradoria da Casa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here