Impasse na base governista dificulta definição de cargos para a Mesa Diretora da Assembleia

158


Por Miguel Martins,


Estão certos, até o momento, somente os nomes do candidato a presidente, José Sarto (PDT), e do primeiro-secretário, o também pedetista Evandro Leitão


 


A três dias da eleição da Mesa Diretora que conduzirá os trabalhos da Assembleia Legislativa do Ceará pelos próximos dois anos, ainda segue o impasse quanto aos nomes que devem compor o colegiado. Estão definidos, até o momento, somente os nomes do candidato a presidente, José Sarto (PDT), e do primeiro-secretário, o também pedetista Evandro Leitão. Sobram outras cinco vagas efetivas e três suplências na Mesa para outras legendas.


O PDT tende a abrir mão da primeira vice-presidência em prol do PT, que deve indicar Moisés Braz ou Fernando Santana, mas há divergências quanto ao nome que será escolhido.


De acordo com informações de parlamentares, o PDT abrirá mão da primeira vice-presidência para a sigla petista, mas quer escolher o nome do partido a assumir a vaga, o que não foi aceito pelos demais membros da base.


O MDB aguarda ficar com a segunda vice-presidência da Assembleia, já que a cúpula pedetista não concordou em ceder a vaga da primeira vice para a sigla emedebista.  O deputado Danniel Oliveira (MDB) afirmou que as vagas ainda estão em discussão, mas frisou que o MDB estará na Mesa. Leonardo Araújo (MDB) e Danniel disputam internamente quem deve ser o nome da legenda no colegiado. 


Todos os passos dados por Sarto na construção da nova Mesa são acertados com o Palácio da Abolição, que, inclusive, foi decisivo na escolha do nome do pedetista para comandar a Casa pelos próximos dois anos.


A oposição também deve fechar questão com relação ao nome de Sarto. O deputado federal eleito Capitão Wagner (PROS), liderança do bloco formado por PROS, PSDB e PSL na Assembleia, afirmou que após reunião com o nome escolhido pelo governador, acertou que o grupo votará em Sarto.


A Mesa Diretora da Assembleia para o biênio 2019-2020 será eleita na próxima sexta-feira (1º), após a posse dos deputados estaduais eleitos em 2018.