Estado deve apresentar versão de plano de reabertura na quarta (29)

96

Informação foi confirmada pelo secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Maia Júnior. Ele ainda disse que as empresas liberadas a operar no Ceará, agora, representam 74,8% das riquezas geradas na economia local

O plano de reabertura da economia no Ceará começa a ganhar pontos mais definidos. Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico e Trabalho do Estado, Maia Júnior, o Governo deverá apresentar a primeira versão do planejamento elaborado pelo grupo de trabalho criado para discutir o assunto na próxima quarta-feira (29). Apesar de parte dos negócios no Estado estar fechada como medida de combate ao coronavírus, o titular da Sedet destacou que a atividade econômica não está totalmente paralisada, e que as empresas habilitadas a operar agora representam 74,8% das riquezas geradas no Ceará.

> Ceará estuda projetos de retomada das atividades de outros estados

Maia Júnior destacou que o trabalho está sendo feito em conjunto com empresários do setor produtivo, que representam entidades cearenses, e com representantes do Governo Estadual, além de outros órgãos públicos, como o Ministério Público Estadual e o Ministério Público Federal. Ele ainda comentou que o planejamento precisa ser pensado com cautela, considerando as dificuldades impostas pela crise sanitária da pandemia do novo coronavírus.

O secretário também apontou que os planos de retomada da economia apresentados pelo Governo Federal não continham muitos detalhes, o que poderia comprometer o processo de reabertura. “Na quarta-feira, teremos a primeira versão, que foi discutida com entidades empresariais e o Ministério Público. O Governo Federal já começou a falar nisso, mas não detalhou nada, fez alguns comentários, e é preciso trabalhar bem.”

Maia ainda apontou que a crise do coronavírus apresenta uma cenário complicado, porque pressiona o sistema de saúde, então reabrir a economia sem planejamento poderia causar uma nova onda de contaminação. Caso haja mais casos, o Estado poderia ter dificuldades em oferecer leitos de terapia intensiva para o tratamento dos casos mais graves da Covid-19.

“Essa crise tem vários momentos, destacando a saúde. Sem uma situação controlada, não há garantia de leitos se o tamanho da contaminação for grande, o que termina por dificultar uma garantia de tratamento”, disse Maia.

O secretário de Desenvolvimento Econômico e Trabalho ainda disse que as decisões sobre a retomada serão lideradas pelos especialistas da área da saúde, reforçando o posicionamento do governador Camilo Santana.

Valor adicionado

Mesmo durante o momento de redução da atividade econômica no Ceará, Maia Júnior ressaltou que as empresas que estão liberadas a operar representam 74,8% do Valor Adicionado Bruto (VAB) no Estado. O conceito é utilizado para indicar o valor que a atividade agrega aos bens e serviços consumidos no seu processo produtivo. É um indicativo da contribuição da atividade ao Produto Interno Bruto (PIB) cearense.

Casos de Covid-19

O Ceará alcançou 4.702 diagnósticos positivos e 271 óbitos em decorrência da Covid-19 até as 17h desta quinta-feira (23), conforme dados da plataforma IntegraSUS da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa). Em relação aos dados fornecidos no mesmo horário desta quarta-feira (22), houve um acréscimo de 586 novos resultados positivos para o vírus, além de mais 32 mortes confirmadas. Desde o dia 15 de março, quando a Sesa divulgou os três primeiros casos de Covid-19 no Ceará, este é o pior dia da pandemia no Estado, com recorde tanto de óbitos registrados, como de casos confirmados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here