Empresa cearense faz parceria internacional para produção de tilápia

242


Um novo sistema de cultivo de tilápia e camarão pode ser desenvolvido no Ceará.


 


O projeto ainda está sob análise e faz parte de parceria entre a empresa cearense Piscis, localizada em Jaguaribara, e a alemã Gloasis, através do projeto Low Carbon Business Action in Brazil.


 


A iniciativa envolve as pequenas e médias empresas brasileiras e europeias, através do intercâmbio de experiências consideradas inovadoras, que estão em processo de transição para tecnologias de baixo carbono.


 


A Piscis, orginalmente, se especializou na produção de óleo a partir de vísceras de tilápia. Com as crises hídricas dos últimos seis anos, a empresa passou a buscar alternativas para a produção de tilápia e camarão de forma sustentável, mas sem a dependência da sazonalidade das chuvas, que garantem a água dos reservatórios, lagos e açudes.


 


Atualmente, a empresa produz tilápia em tanques elevados em um sistema que reutiliza a água, proveniente de poço profundo, através dos ciclos de produção.


 


Usina solar


ECONOMIA DE R$ 82 MILHÕES


 


As contas de luz ainda não tiveram redução para o cidadão comum, mas, para as empresas que estão instalando projetos de energias renováveis, já estão sendo calculados os valores que serão economizados.


 


A empresa EDP, por exemplo, instalará na cidade de Januária, em Minas Gerais, uma usina solar de 5 megawatts-pico (MWp) para o Banco do Brasil. A energia gerada será suficiente para abastecer 4,5 mil residências com consumo médio de 2.400 kWh/ano. Pelo projeto feito pelo banco, será possível poupar aproximadamente R$ 82 milhões em um período de 15 anos.


 


“Contadores são os curandeiros do mundo moderno, dispostos a colocar a mão em todos os tipos de mágica”Charles Eustace Harman (1894-1970), magistrado inglês


 


Sistema alemão


REUTILIZAÇÃO DE ÁGUA PARA PESCADOS


 


O presidente da Piscis e do Sindialimentos, André Siqueira, explica que está sendo utilizado um sistema alemão de reutilização de água de produção do pescado com tecnologias de dessalinização. O projeto está em fase inicial e receberá o aporte de 50 mil euros por parte da Low Carbon Business Action.


 


O projeto tem algumas etapas a cumprir, como o seu desenho executivo, com a construção do plano de negócio. A segunda fase consistirá na procura, identificação e descrição de possíveis parceiros financeiros para executar a primeira planta do projeto no Estado.