ARTIGO| Dona Bárbara presente, inspiração da gente, por Nilson Fernandes

85

 

Por meio de seus canais, a entidade articulou com a imprensa, conclamou os fazedores de cultura e chegou à Assembleia Legislativa do Estado

Conhecer a própria história nos faz entender melhor quem somos, ajuda a construir uma versão mais exata de nós mesmos no mundo. Reconhecer as heroínas e os heróis, por exemplo, está nesse contexto, por dever de reconhecimento às suas lutas e conquistas, pelos legados a nos inspirarem, enquanto alicerces de futuro.

O Sindicato dos Fazendários (Sintaf) se lança em jogar luzes na trajetória de personagens que contribuíram para a grandeza do estado, cuidando de preservar a identidade da gente notória que aqui desenvolveu papel relevante. E traz à cena a figura memorável de Bárbara de Alencar, permitindo-nos aproximar-se ainda mais da sociedade, enquanto servidores da Fazenda Estadual, estreitando laços, criando vínculos.

Para colocar em relevo o potencial dessa alma feminina extraordinária, nascida no Exu-PE, mas que deixou rastros de luz no Ceará, fomos à comunidade de Itaguá, no município de Campos Sales, Cariri Oeste, onde repousam na igrejinha local seus restos mortais, e resgatamos a memória da Heroína que, revolucionando seu tempo, integrou a articulação precursora da Independência e da República no Brasil.

É Dona Bárbara sempre presente, carinhosa e respeitosamente.

Conversamos com professoras, artistas, moradores de Itaguá em geral, produzimos vídeos (“Desencantando Bárbara” e “Lute como uma Monte Castelo”), envolvemos crianças e jovens em contações de histórias e teatro, mostramos ao estado o potencial das ações revolucionárias da primeira feminista brasileira. A Bárbara da Revolução Pernambucana é a mesma da Confederação do Equador, que completa 200 anos, a serem celebrados à altura por Sintaf e Fundação Sintaf.

Por meio de seus canais, a entidade articulou com a imprensa, conclamou os fazedores de cultura e chegou à Assembleia Legislativa do Estado; pelas mãos do deputado De Assis Diniz, ajudou a instituir o Dia de Bárbara de Alencar no Ceará: 28 de agosto.

É o Sindicato além das próprias paredes, da própria competência institucional.

Lutar como uma Bárbara, enfim, é destacar o protagonismo feminino como parte substantiva do processo de transformação do nosso estado. Sirva ela de paradigma para todas as gerações. Viva Bárbara e o povo cearense!

Fonte: Diário do Nordeste

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here