Sindicato diz que mais de mil cobradores foram demitidos com autoatendimento em ônibus; empresários negam

220


Mais de mil cobradores foram dispensados pelas empresas de transporte coletivo desde a implantação do sistema de autoatendimento nos ônibus, segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Ceará (Sintro). A informação foi divulgada durante manifestação contra as demissões de cobradores de ônibus e a implantação do autoatendimento. Os empresários negam.


Segundo o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus), o volume de demissões “não procede”. “A quase totalidade de cobradores dos ônibus que migraram pra autoatendimento foi promovida a motoristas e outras funções ou saiu pela rotatividade normal da empresa”, informou a assessoria de comunicação do Sindiônibus.


Na manhã dessa quarta-feira, 24, a manifestação de cobradores e motoristas reuniu cerca de 30 pessoas em frente ao Paço Municipal, no Centro. Houve bloqueio da rua São José. Profissionais da Autarquia Municipal de Trânsito (AMC) estiveram no local orientando o fluxo no entorno. Uma comissão do Sintro foi recebida pela Prefeitura por volta das 11 horas.


Fortaleza tem, atualmente, 715 ônibus da rede municipal de transporte público operando somente com o cartão recarregável. A frota é de 1.850 ônibus. O Sindiônibus afirma que, a medida que mais passageiros forem aderindo ao crédito eletrônico, a frota com autoatendimento será ampliada na Capital.


A vereadora Larissa Gaspar (PT) criou abaixo-assinado exigindo o fim do pagamento da passagem apenas por meio de cartão. O documento destaca que a medida é ilegal, conforme o artigo 43 da Lei das Contravenções Penais, que dispõe sobre a recusa de receber a moeda em curso no País.