Setor automotivo aposta na retomada e reúne fabricantes em Fortaleza

276

|Autop 2022| Com 200 marcas em exposição no Centro do Eventos, feira apresenta as tendências do segmento

De olho na retomada do crescimento no mercado de reposição de autopeças, as principais fabricantes do Brasil apresentaram as tendências, desafios e inovações na Feira Nacional de Autopeças, Motopeças, Acessórios, Equipamentos e Serviços (Autop 2022), aberta ontem no Centro de Eventos no Ceará e que segue até sábado, dia 20.

Primeiro evento sustentável do segmento automotivo no País, a feira promove ações de redução de impacto ao meio ambiente e espera mais de 30 mil visitantes, entre empresários e profissionais do ramo, para conferir as mais de 200 marcas em exposição — além da programação que também conta com palestras e debates.

Qualificação do setor

Para Ranieri Leitão, presidente do Sistema Sincopeças/Assopeças/Assomotos do Ceará (SSA/CE), organizador do evento, o encontro é um palco de qualificação, aprendizado, relacionamento e negócios — uma ótima oportunidade para encontro e network com quem faz parte da cadeia produtiva.

“Estamos muito honrados em fazer uma feira dessa magnitude nesse momento de dificuldade. O mercado está aquecido, ainda esse ano devemos ter uma resposta positiva sobre a entrada de semicondutores, mais veículos fabricados, e a gente continua vendendo autopeças muito bem porque os veículos usados estão em alta, o que acarreta em fluxo de negócios para o nosso setor”, garante.

Dentre os expositores, a Rio – da Riosulense S/A, da cidade catarinense de Rio do Sul – uma das maiores fabricantes de autopeças na América Latina, aproveita a oportunidade para apresentar lançamentos nas linhas de pistão e anéis, itens para motores 3 cilindros e eixos de comando.

Segundo a gerente comercial da empresa, Natália Vasconcelos, a expectativa para a feira é positiva para o mercado de reposição automotiva como um todo, após um longo período sem atividades em virtude da pandemia de Covid-19.

“Fabricantes de autopeças atendem aos setores que não podem parar, como distribuição de alimentos, agrícola, e a pandemia evidenciou isso. Agora a gente espera reencontrar nossos parceiros, fortalecer laços comerciais, laços de amizade também, além de mostrar nossos lançamentos”, afirma.

Fonte: O Povo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here