Prévia do PIB mostra alta de 4,21% na economia do Ceará em 2021

74

Apesar de queda de 1,60% na passagem do mês de novembro para dezembro na série dessazonalizada e de 0,87% ante dezembro de 2020 no dado com ajuste, o ano passado terminou com alta de 4,21% para a economia do Ceará no acumulado de 2021, conforme a prévia do Produto Interno Bruto (PIB) apresentado nesta segunda-feira, 14, pelo Banco Central (BC), no índice observado.

O resultado positivo, quase que estável, do Índice de Atividade Econômica Regional do Estado (IBCR-CE), foi revelado ainda para o trimestre, com elevação de 0,82% ante trimestre imediatamente anterior. Frente a igual trimestre de 2020 a variação foi de 0,95%.

Em novembro, a prévia do PIB já mostrava crescimento no Ceará no ano passado, quando, em novembro de 2021, o índice subiu 0,17% na série já livre de influências sazonais.

Frente ao Nordeste, com 2,97% no ano, a economia cearense cresceu acima. Porém, a queda no mês e em comparação com dezembro de 2020 foi acima da média da Região, que variou -0,82% na passagem de novembro para dezembro e -0,15% frente a igual mês do ano anterior ao de comparação.

No trimestre até dezembro, o Ceará teve alta superior ao do Nordeste, que apresentou índice de 0,29% e, ante igual trimestre de 2020 o crescimento também superou o da Região, que foi de 0,61%.

Bahia já foi melhor que o estado cearense, pois teve alta de 0,87% na passagem de novembro para dezembro e de 0,74% ante dezembro de 2020. Mas parou por aí, pois o Ceará foi superior no trimestre, frente a igual trimestre do ano anterior e também no acumulado do ano, pois a economia baiana teve altas respectivamente de 0,51%, 1,04% e 2,22%, ou seja, abaixo do registrado na prévia do PIB cearense.

Já Pernambuco também apresentou quedas inferiores ao do Ceará de novembro para dezembro (-0,78%) e ante dezembro de 2020 (-0,46%), mas também apresentou resultados abaixo do cearense no trimestre (-0,94%), frente igual período trimestral de 2020 (0,34%) e no ano (4,11%).

De novembro para dezembro, o índice de atividade calculado pelo BC passou de 150,17 pontos para 147,77 pontos na série dessazonalizada no Ceará. Saiu de uma série de duas altas seguidas e voltou a patamares de setembro de 2021.

Brasil

O Índice de Atividade (IBC-Br) no Brasil subiu 4,5% em 2021, após uma queda de 4,05% em 2020, ano do início da pandemia.

Uma espécie de “prévia do BC para o Produto Interno Bruto (PIB)”, o IBC-Br serve como parâmetro para avaliar o ritmo da economia. De responsabilidade do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o PIB do ano passado será divulgado em 4 de março – a projeção atual do BC é de crescimento de 4,4%.

Os resultados do IBC-Br nem sempre mostraram proximidade com os dados oficiais do IBGE. O cálculo dos dois é um pouco diferente – o indicador do BC incorpora estimativas para a agropecuária, a indústria e o setor de serviços, além dos impostos, mas não considera o lado da demanda (incorporado no cálculo do PIB do IBGE).

No Paós, em dezembro, o IBC-Br teve a segunda alta consecutiva, de 0,33%, na série já livre de influências sazonais. Em novembro, o aumento havia sido de 0,51% (dado revisado ontem).

De novembro para dezembro, o índice de atividade calculado pelo BC passou de 139,27 pontos para 139,73 pontos na série dessazonalizada. Este é o maior nível desde fevereiro passado (141,05 pontos). (Com Agência Estado)

Fonte: O POVO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here