Nova gestão do Sintaf toma posse em solenidade na Sefaz

56

A posse da nova gestão do Sindicato dos Fazendários do Ceará (Sintaf) para o triênio 2024-2027 aconteceu na manhã desta segunda-feira, 1º de julho, no auditório da Sefaz, com abertura do Coral dos Fazendários e participação do presidente da Assembleia Legislativa, o deputado e fazendário Evandro Leitão (PT).

Na ocasião, o governo do Estado foi representado pelo secretário executivo do Tesouro Estadual e de Metas Fiscais, Márcio Cardeal. Também prestigiaram a solenidade o secretário executivo de Planejamento e Gestão Interna da Sefaz, Guilherme França, o presidente da Cearaprev, Adriano Pinheiro dos Santos, a diretora de Comunicação da Fenafisco, Marlúcia Paixão, o diretor-geral da Fundação Sintaf, Liduíno de Brito, a presidente da AAFEC, Márcia Ximenes, o presidente da UFFEC, Rubens Teixeira, o presidente da Cafaz, Kleber Silveira, o diretor executivo da Auditece, Juracy Soares.

Foram empossados os membros da Diretoria Colegiada, das Coordenações Regionais do Apodi, Cariri e Zona Norte, além dos Conselheiros Fiscais e Delegados Sindicais.

Sucesso para mais um mandato

O presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, deputado Evandro Leitão, marcou presença no início da solenidade e falou de sua satisfação em participar daquele momento. “Desejo muito sucesso para mais um mandato à frente do Sintaf, que teve a contribuição de tantos para as lutas e conquistas. Em nome de Carlos Brasil eu quero saudar toda a Diretoria que está tomando posse e desejo que continuem trabalhando com muita decência, como tem feito. Podem contar comigo”, declarou.

Sinônimo de força, lutas e conquistas

Em sua fala, representando o governo do Estado, o secretário executivo do Tesouro Estadual e de Metas Fiscais da Sefaz, Márcio Cardeal, destacou que o Sintaf representa toda a categoria fazendária, sendo reconhecido nacionalmente. “O Sindicato é sinônimo de força, lutas e conquistas. Temos grandes desafios nos próximos anos, a exemplo de uma reforma tributária que mexerá com a categoria do Fisco e a discussão de nossa Lei Orgânica, mas tenho certeza de que Carlos Brasil, com toda a sua capacidade de diálogo, fará um grande trabalho nos próximos três anos”, sublinhou.

Fé na luta e na transformação

A diretora de Comunicação da Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital (Fenafisco), Marlúcia Paixão, que ali representava o presidente da Federação, Francelino Valença, enfatizou que a reforma tributária traz alívio, mas também preocupações. “Em meio à luta, o Sintaf é fonte de inspiração quando vemos, numa posse, um coral que reafirma, através da música, a fé na vida, a fé no homem, a fé na luta, no movimento para transformar a realidade do nosso país”, ressaltou a diretora. “E é em nome dessas conquistas que eu fico encantada com o Sintaf, porque vocês conseguem compatibilizar a luta, a reivindicação justa, com a preocupação com a cultura, com o lúdico, com o que está em torno de nós”, apontou.

O Sintaf é protagonista

Convidado a fazer o uso da palavra, o presidente da Cearaprev, Adriano Pinheiro dos Santos, manifestou sua alegria pelo convite e afirmou que se sente em casa no ambiente sindical. “Logo que assumi no Banco do Brasil, como escriturário, a primeira coisa que fiz foi me sindicalizar. Tenho uma compreensão muito grande do papel dos sindicatos diante dos desafios”, disse. Ele saudou a nova gestão em nome do diretor de Organização, Carlos Brasil, e relatou sua surpresa quando, na semana passada, no evento que abriu as comemorações dos 200 anos da Confederação do Equador, no Palácio da Abolição, o Sintaf figurar não apenas como participante, mas como protagonista do evento. “Esse é um sindicato que leva as pessoas a pensar”, refletiu. “O Sintaf está de parabéns e eu, na Cearaprev, estarei de portas abertas”.

Por uma gestão participativa e compartilhada

Após a assinatura do termo de posse, Zenilse Félix Rebouças foi convidada a fazer a sua saudação aos presentes, quando afirmou sua alegria em representar os 30 delegados sindicais eleitos para a gestão 2024-2027. “Nós, delegados, temos um papel importantíssimo: somos o elo entre as unidades fiscais e o Sindicato. De antemão, digo que vou fazer muito barulho. Parabenizo a todos e desejo que possamos fazer uma gestão participativa e compartilhada. O Sindicato somos todos nós, não apenas a diretoria que está assumindo. O Sintaf só tem peso e representatividade se estivermos presentes nas lutas, nas assembleias, apresentando nossas demandas”, conclamou.

Representação forte no interior do estado

Célia Elói, reconduzida à coordenação regional do Sintaf no Cariri, discursou em nome dos coordenadores eleitos. Ela evidenciou a relevância do trabalho dos fazendários, que buscam melhor servir à sociedade, apesar da redução da presença física do Fisco na capital e interior. “Como coordenações regionais, atendemos os servidores ativos, aposentados e pensionistas, buscando lutar por eles. Para melhor representar esses pleitos, nesse triênio temos a Larissa Clara (coordenadora adjunta) que chegou há pouco tempo na Sefaz e já manifestou a vontade de defender os colegas. Podem contar com as coordenações regionais; estamos aqui para melhor representar vocês”, salientou.

Pilar para a categoria fazendária

Em nome dos conselheiros fiscais eleitos, Antonio Miranda, reconduzido ao cargo, expressou a sua alegria em ver o auditório lotado prestigiando a nova gestão. “A minha expectativa é de uma maior participação dos colegas que entraram há pouco tempo na Sefaz. Nós, que já estamos caminhando para a aposentadoria, precisamos de vocês para que assumam essa instituição riquíssima que é o Sintaf – ela que é um pilar para os fazendários”, asseverou. Para Miranda, o Sindicato não pode perder a capacidade de lutar e pressionar o patrão – no caso, o governo.

Por uma gestão democrática

Reconduzido ao cargo de diretor de Organização, Carlos Brasil saudou todos os fazendários e manifestou o seu reconhecimento aos colegas que disputaram a eleição pela Chapa 2, na pessoa de Lúcio Maia, com o qual ele teve a honra de conviver em gestões passadas. “Foi uma campanha de alto nível e que já foi superada. A luta é em torno de ideias. Teremos ainda muitos debates e isso faz parte da vida sindical”, ressaltou. Em sua gestão, Brasil afirmou que buscará ser o mais democrático possível. “Conseguimos a muito custo implantar a VPNI, construir a lei pós-ADI 5299, inserir na reforma tributária o teto 100% para 2027 e a previsão da lei orgânica nacional. Mas vamos falar também do futuro, que passa pela incorporação da VPNI, pela construção da lei orgânica e por luta constante por concursos”, reiterou.

Por fim, Carlos Brasil convidou a diretora Kétilla Cavalcante a fazer o uso da palavra e encerrar em nome da Diretoria Colegiada.

A confiança que gera motivação

Eleita diretora adjunta Jurídica e Econômico-Tributária do Sintaf, Kétilla expressou a honra e alegria de poder fazer parte da Diretoria. “A minha palavra hoje é de gratidão por fazer parte dessa Casa (Sefaz) e por todos os fazendários que votaram na nossa chapa. A confiança depositada por vocês nos gera motivação”, declarou.

Kétilla Cavalcante agradeceu a todas as gestões que já passaram pelo Sindicato, que contribuíram para a entidade ser é o que é hoje, forte e reconhecida pelo esforço e comprometimento de pessoas que se dedicaram. “Entrei na Sefaz em maio de 2023 e antes mesmo de ingressar já havia percebido a importância do Sintaf para toda a categoria. É uma história longa de lutas e conquistas e é nesse espírito que devemos continuar. É importante que todas as vozes sejam ouvidas, buscando sempre isonomia e equidade, por isso peço o apoio e colaboração de todos, em especial das mulheres”, conclamou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here