Versão para impressão Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Aumentar tamanho das letras


Saiu na Imprensa

  05/12/2018   
TRIBUTAçãO

Carga tributária chega a 32,43%, novo recorde

Os impostos pagos pelos brasileiros representaram 32,43% de toda a riqueza produzida no País em 2017, de acordo com dados divulgados ontem pela Receita Federal. A chamada carga tributária – que inclui o que foi pago para a União, Estados e municípios – subiu pelo terceiro ano consecutivo e alcançou o maior porcentual desde 2013, quando foi de 32,55%.

A alta em 2017 se deu porque, enquanto o PIB cresceu, em termos reais (descontada a inflação), 1% no período, a arrecadação aumentou mais, 1,4%. Isso porque as receitas do governo costumam ter uma reação mais intensa do que a própria atividade econômica. Na recessão, a arrecadação geralmente cai mais do que o PIB.

No entanto, em 2017, também houve aumento de imposto. O governo federal elevou a tributação sobre combustíveis ao nível máximo permitido por lei. A medida começou a vigorar em agosto do ano passado.

A tributação sobre bens e serviços penaliza os mais pobres, porque o peso dos impostos é o mesmo para todos, mas consome mais renda de quem ganha menos. Por isso, especialistas defendem a necessidade de uma reforma tributária para corrigir esse tipo de distorção. Uma das sugestões é aumentar o peso dos impostos sobre renda, lucro e capital.

Em 2017, a participação da União no total arrecadado foi de 68,02%, 0,35 ponto porcentual abaixo do ano anterior. A de Estados ficou em 25,72% e a de municípios, em 6,26% do PIB.

Segundo os dados da Receita Federal, a carga tributária brasileira ficou maior do que a de países como Canadá (31,7%), Estados Unidos (26%), Turquia (25,5%) e Chile (20,4%).

O porcentual de impostos pagos em relação à riqueza foi menor no Brasil do que em países como Dinamarca (45,9%), Portugal (34,4%) e Reino Unido (33,2%). A média dos países que compõem a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) é de uma carga tributária de 34,3%.

O estudo da Receita mostra ainda que o Brasil tributa menos a renda do que a média dos países da OCDE, enquanto na tributação de bens e serviços a relação se inverte. A carga tributária brasileira sobre a renda é de 6,5%, enquanto a média da OCDE é de 11,4%. Já o porcentual sobre bens e serviços é de 15,4%, ante 11,2% médio da OCDE.

 

Via Impostômetro

 

Marcadores: carga tributária
Fonte: Sindifisco-SC
Link: http://www.sindifisco.org.br/noticias/carga-tributaria-chega-a-3243-novo-recorde
Última atualização: 05/12/2018 às 15:07:15
 
Nota da Assessoria: O Sintaf não se responsabiliza pelo conteúdo e/ou opiniões emitidas nas notícias reproduzidas nesta área. As notícias aqui disponibilizadas são reprodução de temas de interesse veiculados na mídia.
Versão para impressão Diminuir tamanho das letras Voltar Página inicial Aumentar tamanho das letras

Comente

Comentários

Seja o primeiro a comentar. Basta clicar no botão acima.

Rua Agapito dos Santos, 300 - Centro
Fortaleza/Ce | CEP 60010250

www.igenio.com.br