José Clementino Pereira: ícone da categoria fazendária

185

Nesta sexta-feira (21/8), a Diretoria Colegiada do Sintaf comunicou, com grande pesar, o falecimento do fazendário aposentado José Clementino Pereira, ex-presidente do Sindicato. Clementino foi um dos fundadores do Sintaf, tendo integrado a gestão provisória (1988-1989), como diretor financeiro, e a primeira gestão (1989-1991), como diretor de Formação Sindical. Mas foi na segunda gestão (1991-1993), como presidente da entidade, que Clementino deu a sua maior contribuição à luta sindical da categoria.

Sua gestão foi marcada pela primeira greve da categoria fazendária. A principal reivindicação da época era a revisão da estrutura remuneratória dos fazendários. Após a greve histórica de 1991 – foram sete dias de paralisação – a Administração Fazendária criou uma nova gratificação para substituir a que o Governo do Estado queria revogar. Para se ter uma noção monetária, esta gratificação correspondia a 50% do salário dos fazendários. Além disso, a categoria conquistou uma nova tabela vencimental, com o aumento do salário base e redução da remuneração variável.

Naquele período, a gestão de Clementino enfrentou ainda uma campanha difamatória na imprensa contra os fazendários, lutou contra a terceirização e por melhores condições de trabalho nos postos fiscais, e aderiu à Campanha Salarial Unificada dos servidores estaduais.

No ano seguinte à greve de 1991, a gestão Clementino decidiu manter um canal permanente de negociação com a direção da Sefaz, fortalecendo o diálogo, mas sempre reafirmando a necessidade da luta.

Companheiro de lutas

Ubiratan Fontenele (Bira), atual diretor de Aposentados do Sintaf, relembra que a gestão de Clementino Pereira, da qual foi diretor financeiro, preocupou-se em dar melhor infraestrutura às atividades sindicais. “Após a greve, nós fizemos uma campanha de conscientização e sindicalização junto à base, pois o Sintaf já havia ganhado o respeito dos governantes e a admiração da sociedade; apesar de recém-criado, o Sindicato já demonstrava altivez”, explica Bira.

Conforme destaca o diretor, Clementino era muito organizado e comprometido com as lutas da categoria. “Na sua gestão, começamos a formação de um patrimônio para a entidade, porque tudo era alugado: a sala onde o Sindicato funcionava, as cadeiras, os veículos e até mesmo a linha telefônica”, explica Bira.

No primeiro ano de gestão, Clementino começou a aplicar os recursos do Sintaf e a fazer caixa para a aquisição de uma sede própria, o que de fato ocorreu, com a compra da atual sede do Sintaf, localizada na Rua Agapito dos Santos, 300, no Centro, onde o Sindicato se encontra até hoje. Bira lembra ainda que naquela época foram adquiridos uma Kombi e um equipamento de som que foram muito utilizados em mobilizações na capital e no interior do Estado.

Liderança importante

O diretor de Organização do Sintaf, Lúcio Maia, também destaca a trajetória de José Clementino Pereira. “Clementino foi uma liderança muito importante da categoria fazendária. A partir do seu mandato no Sintaf, com a experiência já adquirida das duas primeiras gestões, o nosso Sindicato se tornou uma entidade muito respeitada no Estado. Se hoje somos referência estadual e nacional, devemos muito a Clementino”, evidenciou Lúcio Maia.

Quem conviveu com Clementino ressalta que ele era um visionário, um homem à frente do seu tempo. Extremamente humano, preocupava-se com cada um e com toda a categoria. Sua dedicação às causas fazendárias ficará para sempre marcada em nossa história.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here