Em mobilização, Sintaf escuta demandas dos fazendários da Cesec

213

Mais de 60 fazendários lotados na Célula de Gestão Fiscal dos Setores Econômicos (Cesec), da Secretaria da Fazenda, participaram de reunião com o Sintaf na manhã desta quinta-feira (4/11). O objetivo da Diretoria, ao visitar a unidade, foi mobilizar os servidores para os desafios da luta sindical. Os diretores foram bem recebidos pelos colegas, que criticaram a forma de implantação do teletrabalho na Sefaz e o enfraquecimento da atividade de fiscalização.

A mobilização das unidades fazendárias é uma das primeiras ações previstas no planejamento estratégico da Diretoria Colegiada, concluído no final de outubro. “Na Cesec, tratamos de diversos temas de interesse da categoria: incorporação do piso do PDF, reposição salarial, condições de trabalho, média de PDF para aposentadoria, teletrabalho e aspectos relacionados ao exercício da atividade de Auditoria Fiscal”, relata o diretor de Organização do Sintaf, Carlos Brasil. Além dele, participaram da visita os diretores Nilson Fernandes, Liliane Sales, Remo César e Stélio Girão, além do conselheiro fiscal do Sintaf, Jucélio Praciano.

Atividade-fim é preterida

Os servidores ouvidos pelos dirigentes do Sintaf reforçaram uma crítica que o Sindicato vem fazendo nos últimos três anos: a atividade-fim da Auditoria Fiscal não está sendo exercida, sendo relegada a segundo plano por imposição da atividade de monitoramento. Com isso, os servidores não estão exercendo plenamente o seu trabalho, o que resultará em prejuízos reais à arrecadação.

“A percepção que o fazendário tem hoje é que há uma inversão de valores: o monitoramento das empresas prevalece em detrimento da fiscalização; as informações enviadas pelos contribuintes têm mais valor que a atividade de fiscalização dos fazendários”, questiona a diretora Liliane Sales.

Teletrabalho

Os fazendários explicitaram o sentimento de insatisfação e inadequação pela forma como está sendo implantado o teletrabalho na Sefaz, e a implicação desse novo modelo nas atividades da Auditoria Fiscal.

Segundo destacaram os servidores, o modelo adotado na Sefaz é único, não existindo nada similar no serviço público. “Que teletrabalho é esse em que o servidor precisa estar em dois locais no mesmo dia? Em que ele trabalha presencialmente na Sefaz em um período e no outro ele está em casa – mas com horários rígidos, metas mais elevadas e sem banco de horas?”, contestaram os fazendários.

Agenda sindical

A Diretoria está preparando uma agenda de ações para os próximos dias. Após o Conselho Sindical, que acontece na manhã desta sexta-feira (5/11), na Fundação Sintaf, as visitas às unidades terão continuidade, começando pelo interior do Estado.

O Sintaf ressalta que sempre buscará fortalecer o espírito de união da categoria, acolhendo todas as demandas fazendárias, independente de cargos e funções.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here