Diretoria convoca Conselho Sindical para a próxima quinta-feira (6/9)

102



 




Em cumprimento às deliberações da última Assembleia Geral da categoria, a Diretoria Colegiada do Sintaf convocou para a próxima quinta-feira, dia 6 de setembro, reunião extraordinária do Conselho Sindical, a partir das 8h30, na sede da Fundação Sintaf. O objetivo é preparar a greve dos dias 12, 13 e 14 de setembro, motivada pelo silêncio do governador Camilo Santana frente às várias tentativas do Sintaf em marcar uma audiência para negociar a incorporação do piso do PDF aos vencimentos e proventos de aposentadoria dos fazendários.


 


A insegurança jurídica da remuneração têm preocupado os servidores, que a qualquer momento podem perder, em média, 40% de seus salários. “Sabemos que o projeto só poderá ser enviado à Assembleia Legislativa após as eleições, mas precisamos do compromisso do Governador com o pleito dos fazendários”, destaca o diretor de Organização do Sintaf, Lúcio Maia. 


 


Todos juntos por uma greve forte


 


O diretor lembra que o pleito foi apresentado ao governador Camilo Santana, pela primeira vez, em junho de 2016. O tema foi pauta de diversas reuniões com a Administração Fazendária até que em abril deste ano o Governador autorizou seus representantes a negociarem o pleito em nome dele, junto ao Sintaf e a AAFEC. Chegou-se à proposta de incorporar, inicialmente, 25% do valor do piso do fazendário ativo aos vencimentos e proventos de aposentadoria. No entanto, esgotaram-se os prazos e o projeto sequer saiu do âmbito da Sefaz para a Assembleia Legislativa.


 


“Voltamos à estaca zero. Por isso é tão importante estarmos unidos e mobilizados em torno da incorporação do piso. A greve é um instrumento legítimo e eficaz, e foi deliberada em uma Assembleia lotada e representativa (realizada no último dia 24/8), com a participação de fazendários dos mais diversos cargos e lotações, ativos e aposentados”, ressalta Lúcio. Para ele, a categoria está consciente de seu papel e não vai esperar o piso do PDF “cair” para começar a lutar.