Contas públicas: Ceará bate recorde de receita em 2021 e chega a R$ 31 bilhões

13

Os cofres do Estado do Ceará acumularam, entre setembro de 2020 e agosto de 2021, receita de R$ 31 bilhões. A cifra é a maior já registrada para o intervalo de 12 meses, superando, inclusive, o período pré-pandemia.

Houve um aumento de 7,5% nos valores ingressados em comparação com o período anterior de um ano.

Os dados constam no Boletim de Conjuntura Macrofiscal do Tribunal de Contas do Ceará (TCE), que traça um panorama da situação das contas públicas do Estado com a análise dos principais pilares.

“De fato, é um recorde, e o próprio valor registrado no último bimestre (julho e agosto), de R$ 5,4 bilhões, também é muito elevado”, comenta Paulo Matos, diretor da Faculdade de Economia, Administração, Atuária e Contabilidade da UFC e cientista-chefe do Monitor Fiscal do TCE.

As receitas correntes (provenientes de impostos, contribuições e outros componentes) cresceram 12,7% no mesmo comparativo, atingindo 29,3 bilhões.

Melhora na atividade econômica

O incremento nas receitas tem conexão direta com a aceleração da atividade econômica do Ceará. Esse aquecimento da economia reverbera em um fluxo maior de arrecadação de impostos, com destaque para o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços).

“O ICMS tem um forte componente de atividade econômica. Se a gente observa, no Banco Central o índice de atividade econômica do Estado do Ceará (IBCR-CE), percebe-se um aumento de quase 8%, muito próximo do que a gente percebe de variação para o ICMS”.

Veja os principais dados do Boletim Macrofiscal

  • Receita acumulada: 31,029 bilhões (crescimento de 7,48%)
  • Despesa: R$ 27,4 bilhões (crescimento de 6,9%)
  • Dívida consolidada: R$ 18,1 bilhões (queda de 0,04%)

Já as receitas de capital (operação de crédito, empréstimos, amortizações, etc), que constituem um peso menor para o resultado, apresentaram queda de 41% no período, com o montante de R$ 1,6 bilhão.

As despesas também cravaram recorde no período, escalando para 27,4 bilhões, a uma taxa de crescimento de 6,91%. Mesmo com o patamar inédito, Matos destaca que o avanço nesta rubrica ocorre em ritmo menor que o das receitas. “Isso é sempre muito importante porque fortalece o caixa do Estado”, frisa.

O superávit do Ceará superou R$ 5 bilhões no acumulado de 12 meses, também o maior valor da história.

Fonte: Diário do Nordeste

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here