Complexo do Pecém adere a programa internacional de segurança de cargas

9
O Complexo do Pecém (CIPP S.A) anunciou oficialmente que está em processo de adesão ao programa OEA – Operador Econômico Autorizado, que visa o estabelecimento de cadeias de suprimento internacionais seguras. No Brasil, a validação é concedida pela Receita Federal e constata a segurança das cargas e conformidade tributária e aduaneira das operações através de auditoria específica de verificação de conformidade de processo perante o OEA.

De acordo com o gerente de desenvolvimento operacional do Porto do Pecém, Valter Araújo, o equipamento deverá ser o primeiro Terminal de Uso Privado (TUP) da região nordeste a aderir ao programa OEA. “Trata-se de uma certificação voluntária que visa aumentar a segurança de toda a cadeia logística. Isso dá um upgrade para o terminal, gerando ainda mais confiabilidade aos nossos clientes”, comenta.

Em palestra realizada no auditório do Bloco de Utilidades e Serviços (BUS) do Porto do Pecém, com a presença de orgãos intervenientes, anuentes, Prestadoras de Serviços Operacionais (PSOs) e empresas instaladas no Complexo do Pecém, o consultor especializado em comércio exterior, Walter Thomaz Júnior, deu detalhes sobre as vantagens de aderir ao programa OEA.

“Com essa certificação internacional, as empresas brasileiras são reconhecidas como agentes de baixo risco por outros países que também fazem parte do programa, impulsionando assim as relações comerciais e gerando, por consequência, um crescimento nas exportações e importações”, conta Thomaz.

Dentre os critérios de elegibilidade que devem ser seguidos pelas empresas que desejam aderir ao programa OEA, Walter Thomaz cita quatro segmentos de destaque: gestão por processos; segurança da informação; gestão de Recursos Humanos e Qualificação Profissional; e gestão de Riscos Aduaneiros.

Mais negócios
Conforme a diretora de Relações Institucionais do Complexo do Pecém, Rebeca Oliveira, essa nova certificação de segurança, além de fortalecer os laços do Pecém com a Receita Federal do Brasil, abrirá, também, novas portas mundialmente para que ainda mais negócios cheguem ao Estado do Ceará.

“No decorrer dessa certificação, solicitaremos aos nossos parceiros comerciais algumas alterações na questão da segurança e da operação de nossas cargas, para que todos os critérios do OEA sejam cumpridos. Com isso, o Ceará certamente receberá novas cargas e seguirá trilhando esse caminho de desenvolvimento em 2022, ano que marca os 20 anos do Porto do Pecém”, diz.

O Estado do Ceará

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here