Ceará tem mais de 46 mil empresas ativas no setor

84

Dados da Junta Comercial do Ceará (Jucec), apontam que, no Ceará, existem 46.265 empresas ativas no segmento de energias renováveis. Juntas, essas empresas geram mais de 22 mil postos de trabalhos formais, além de serviços indiretos, conforme aponta o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).
O clima quente e o vento forte são fatores que contribuem para essa procura de investimentos neste segmento no estado. O secretário do Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedet), Maia Júnior, destaca que o Ceará não produzia energia renovável há cerca de 25 anos. O estado foi o pioneiro no Brasil e hoje caminha para ser um grande exportador de energia limpa e sustentável. “Somos auto suficientes e em dois anos nós praticamente dobramos o nosso potencial”, revela.
Conforme informações da Sedet, o potencial de geração de energia eólica no território cearense é de 211 GW, sendo 94 GW onshore (em terra) e 117 GW offshore (no mar). Já o potencial de geração de energia solar no Ceará é de 643 GW. “O Ceará está se mostrando um local seguro para se investir e o empresário começa a perceber isso. As provas são os recentes anúncios feitos por empresas que estão se instalando no Ceará”, conclui o secretário.

Investimentos
Em janeiro de 2021, a Lightsource BP anunciou detalhes do início da implantação de dois parques fotovoltaicos, em Milagres e em Icó, no interior do Ceará. O investimento de R$ 1,4 bilhão vai produzir quase 500 MW de energia solar. Os projetos, na fase das obras, vão gerar cerca de 1.400 empregos diretos.
Em setembro de 2020, o Governo do Ceará assinou um memorando com a empresa chinesa Mingyang Smart Energy, formalizando a intenção de que seja instalada no estado um complexo eólico offshore. O termo offshore se aplica a torres eólicas instaladas em alto mar, em águas não muito profundas e em locais afastados das rotas de tráfego marítimo. Para se conectarem com a rede elétrica em terra, as torres são ligadas à costa através de cabos submarinos. A energia gerada é então enviada para centros de distribuição.
O empreendimento da multinacional chinesa deverá gerar aproximadamente dois mil empregos durante a fase inicial e a estimativa é de implantar o complexo eólico até o ano de 2023. (Com informações Sedet)

O Estado

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here