Arrecadação de tributos federais deve reduzir déficit primário de 2021, projeta Receita

178

Resultado primário será divulgado na quinta-feira pelo Tesouro Nacional

O chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita Federal, Claudemir Malaquias, afirmou hoje (25) que o crescimento da arrecadação em 2021 “explicará a redução do déficit” primário do ano passado. O resultado primário de 2021 será divulgado na quinta-feira pelo Tesouro Nacional.

“Vamos encerrar 2021 com déficit apurado muito menor em relação ao que havia sido estimado, graças ao desempenho da arrecadação dos tributos federais”, disse em entrevista coletiva para comentar os dados de arrecadação referentes ao ano passado, lembrando que no início do ano passado a estimativa era de um déficit primário de R$ 248 bilhões.

Excluídos valores não recorrentes, a arrecadação em 2021 seria de R$ 2,056 trilhões, diz Malaquias. As compensações tributárias foram o principal fator a diminuir a arrecadação real, com impacto negativo de R$ 216,312 bilhões. Já pagamentos atípicos do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) somaram R$ 40 bilhões e atuaram na direção oposta.

Questionado sobre qual seria o impacto da renúncia fiscal ligada à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Combustíveis, em elaboração pelo governo federal, Malaquias afirmou apenas que a “Receita tem fornecido todos os subsídios para áreas envolvidas para avaliação dos impactos”.

Fonte: Valor Investe

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here